[CENA] 30 – Embaixo da cama

[CENA] 30 - Embaixo da Cama


Doces sonhos.

Sim, doces são nossos sonhos quando somos crianças. Nunca queremos dormir, mas nossos sonhos são doces. Tanto quanto imaginamos acordados, nós estamos sonhando ao encontrarmos os embalos da noite. A brisa noturna sopra do lado de fora fazendo as janelas tremerem e nos aconchegamos mais em meio as cobertas. Tudo o que precisamos para enfrentar a noite está ali.

Um travesseiro.

Um cobertor.

E uma luz fraca.

Sim, precisamos dessa pequena luz.

Todos sabem que essa luz impede que as coisas venham atrás de nós. Sabemos que estão ali. Eu sempre verifico. Durante o dia. Sim, eu não me arriscaria a olhar depois que a noite cai. Não. É melhor garantir durante o dia.

Meus pais não sabem.

Doces sonhos.

Sim, doces são nossos sonhos quando somos crianças. Nunca queremos dormir, mas ninguém nunca se pergunta o motivo. Imaginam que é apenas birra de criança, a vontade de continuar brincando, como se tivéssemos uma energia sem fim que nunca fosse se esgotar e que dormir, para nós, é algo inútil.

Bem, dormir é difícil.

Eu já não sou mais tão criança, não é?

Não me deixam mais ter a luz.

Não me deixam mais ter o conforto e proteção daquela luz.

Não.

Eu estou crescido.

Eu não preciso da luz para me proteger.

Não há nada a temer.

Não.

Eles não sabem, mas eu estou me protegendo.

Eu tenho uma luz.

Uma lanterna escondida dentro da fronha do travesseiro me ajuda a sentir segurança. A segurança que me tomaram quando levaram minha luz. Eu sei. Eu preciso disso. Eu sei que preciso. É hora de dormir outra vez, mas não quero me deitar. Eu sei que há algo ali. Esperando a luz se apagar.

Não posso deixar… Não, não pare agora.

Não, não pode falhar.

A luz não vai me deixar.

Esse som outra vez.

Eu não quero mais olhar. Eu não quero me deitar. Não posso dormir.

Não, por favor… Não tomem minha luz.

Doces sonhos.

Sim, doces são nossos sonhos quando somos crianças. Nunca queremos dormir, Ele é o motivo. Ele não nos deixa dormir. Ele jamais nos deixará dormir. Não enquanto houver um só sonho doce para que ele possa sentir.

Doces sonhos.

Doces sonhos de crianças.

Não deixe a luz apagar.


PADRIMGostou do conteúdo? Quer ajudar com a produção de mais e mais coisas como essas? Apadrinhe o Diário Lunar!


ApoiaseTambém estamos no Apoia.se! Se preferir, pode nos ajudar por ele!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s